Cibercriminosos Vendem Mais de 117 Milhões de Credenciais de Login do LinkedIn pela Dark Web Provenientes do Hackeamento em 2012

senhas de violação de dados do linkedin expostas Os cibercriminosos estão em uma luta perpétua para ganhar notoriedade e dinheiro através de suas muitas maneiras perversas e táticas de extorsão de dinheiro. Às vezes, os cibercriminosos são bem-sucedidos com violações de dados para obter informações valiosas que podem ser vendidas posteriormente para o maior lance. Isso ocorreu em 2012, quando hackers conseguiram violar os servidores do LinkedIn para vasculhar e obter mais de 117 milhões de registros de usuários, o que inclui senhas de login. Desde então, os dados roubados chegaram à Dark Web, postados por hackers maliciosos que procuram vender os dados.

A enorme violação de dados que o LinkedIn sofreu em 2012 foi considerada por especialistas monumental, pois pode ter exposto detalhes de mais de 167 milhões de contas. Outros afirmam ter chegado à conclusão de que apenas 117 milhões de registros de usuários comprometidos, incluindo senhas, que podem ser usadas para acessar contas de usuário no serviço de rede social voltado para negócios.

Não é muito incomum que violações de dados mais antigas façam com que os dados roubados venham à tona para serem vendidos ou revelados pela Internet em portais secretos, conhecidos por serem a Dark Web acessada principalmente por navegadores especializados como o Tor.

Foi confirmado que os dados expostos em várias vias da Internet acessadas por cibercriminosos são principalmente da violação de dados do LinkedIn em 2012. Embora muitos dados incluam senhas que possam permitir que outras pessoas façam login nas contas do LinkedIn, eles são mascarados com a criptografia SHA1. No entanto, os cibercriminosos podem quebrar essa criptografia e revelar as senhas em um método relativamente fácil. O problema subjacente continua sendo a idade avançada das senhas, pois os dados foram comprometidos há quatro anos. Com essa idade dos dados, há uma alta probabilidade de que as senhas tenham sido alteradas, pois os usuários ativos deixam apenas as contas com senhas fracas e inalteradas vulneráveis.

O LinkedIn, assim como muitas outras redes sociais, tem centenas de milhões de usuários. De fato, os últimos números de membros do LinkedIn pairavam em torno de 433 milhões de usuários, tornando-o uma rede robusta usada principalmente para profissionais de negócios em rede. A parte infeliz sobre a violação de dados em 2012 é que o LinkedIn nunca tomou nenhuma ação definitiva para confirmar o ataque e o suposto número real de 6,5 milhões de usuários sendo afetados no momento.

Curiosamente, houveram outras instâncias de organizações que violaram os dados e ninguém sabe a gravidade da situação. Como um excelente exemplo, uma violação de dados no IRS cerca de um ano atrás provou ser muito pior do que se pensava por ter afetado centenas de milhares de contribuintes adicionais.

Embora as implicações de quantos usuários foram afetados pela violação de segurança do LinkedIn em 2012 tenham alguma discrepância séria, o problema principal é muito real e os usuários de redes sociais, independentemente do serviço que usam, devem ter a prática de usar senhas fortes e alterá-las frequentemente.

Deixar uma Resposta

Por favor NÃO utilize este sistema de comentários para perguntas sobre pagamentos e suporte. Para solicitações de suporte técnico do SpyHunter, entre em contato diretamente com a nossa equipe de suporte técnico, abrindo um ticket de suporte ao cliente através do seu SpyHunter. Para problemas com pagamento, por favor acesse a página "Problemas ou Perguntas referentes ao Pagamento". Para solicitações genéricas (reclamaçōes, questōes legais, imprensa, marketing, direitos autorais) visite a nossa página "Perguntas e Comentários"